A Liga dos Blogues Cinematográficos, com seus rankings periódicos, está a fazer uma revisão contemporânea de obras consagradas em importantes e consolidados festivais internacionais. Há filmes que, consagrados em sua época, e revisitados em 2011, parecem envelhecidos e sem o impacto causado em seu tempo; outros, no entanto, permanecem atuais e renovadores, não perdendo a atualidade e a permanência.

O Ranking de Veneza é um termômetro significativo nesse sentido. Um dos mais prestigiados festivais do mundo (ao lado de Cannes e Berlim), Veneza, porém, tem suas características especiais. Adstrito à Bienal de Arte de Veneza, começou a se celebrar no já distante ano de 1932, numa iniciativa do conde Volpi de Misurata, que seria o seu presidente. Em 1936, com o ditador Benito Mussolini no poder, o governo estabeleceu definitivamente o seu caráter anual por meio de um decreto-lei – como era de hábito na era fascista. Em sua primeira etapa, não concedia prêmios oficiais, que se atribuíam por referendum popular, Por causa da Segunda Guerra Mundial, o festival foi interrompido no período 1943-1945, mas, em 1947, adquiriu caráter oficial, e dois anos depois, em 1949, Antonio Petrucci substituiu a Elio Zorzi na direção da mostra, a fim de dar um maior dinamismo e varrer, para a lixeira, os resquícios fascistas. Uma reviravolta aconteceu em 1969, quando Ernesto Guido Laura assumiu a direção do festival e suprimiu os tradicionais prêmios, criando somente o Cidade de Veneza para premiar a “alta personalidade cujos esforços em pró da sétima arte alcançaram relevo universal”, espécie de Prêmio Nobel do cinema, que, neste ano, correspondeu a Luis Buñuel.

Festival de grande tradição e prestígio, o de Veneza se baseou em um sério caráter artístico -avaliado por importantes retrospectivas – e, particularmente, nos últimos anos, em uma rigorosa seleção dos filmes participantes, que revelam as novas tendências do cinema contemporâneo.

O Festival de Veneza é uma mostra competitiva cuja principal prêmio, o de melhor filme, é denominado Leão de Ouro (Leone d’Oro, em italiano). O júri também concede o prêmio Leão de Prata (Leone d’Argento) ao melhor diretor/realizador e o Leão de Prata – Grande Prêmio do Júri. O Ranking da Liga apenas contempla os filmes que ganharam o Leão de Ouro.

André Setaro, Crítico e Historiador



Ranking de Veneza | Leão de Ouro [*]
1 – A Palavra | Carl Theodor Dreyer – 9,67
2 – Aparajito | Satyajit Ray – 9,00
3 – A Infância de Ivan | Andrey Tarkovskiy – 8,94
4 – Rashomon | Akira Kurosawa – 8,91
5 – A Bela da Tarde | Luis Buñuel – 8,70
6 – O Raio Verde | Eric Rohmer – 8,68
7 – O Ano Passado em Marienbad | Alain Resnais – 8,66
8 – Shorts Cuts – Cenas da Vida | Robert Altman – 8,58
9 – O Segredo de Brokeback Mountain | Ang Lee – 8,44
10 – A Liberdade É Azul | Krzysztof Kieslowski – 8,34
11 – Dois Destinos | Valerio Zurlini – 8,33
12 – A Batalha de Argel | Gillo Pontecorvo – 8,29
13 – Vive L’amour | Ming-Liang Tsai – 8,29
14 – O Lutador | Darren Aronofsky – 7,99
15 – Desejo e Perigo | Ang Lee – 7,83
16 – Em Busca da Vida | Jia Zhang-Ke – 7,81
17 – Deserto Vermelho (Il Deserto Rosso) | Michelangelo Antonioni – 7,75
18 – Hana-Bi: Fogos de Artifício | Takeshi Kitano – 7,68
19 – O Círculo | Jafar Panahi – 7,67
20 – Adeus, Meninos | Louis Malle – 7,54
21 – Nenhum a Menos | Yimou Zhang – 7,50
22 – O Estado das Coisas | Wim Wenders – 7,50
23 – O Retorno | Andrei Zvyagintsev – 7,44
24 – Um Lugar Qualquer | Sofia Coppola – 7,35
25 – Hamlet | Laurence Olivier – 7,33
26 – Antes da Chuva | Milcho Manchevski – 7,30
27 – A História de Qiu Ju | Yimou Zhang – 7,25
28 – O Segredo de Vera Drake | Mike Leigh – 7,08
29 – Atlantic City | Louis Malle – 7,00
30 – Michael Collins – O Preço da Liberdade | Neil Jordan – 6,92
31 – Carmen de Godard | Jean-Luc Godard – 6,81
32 – Líbano | Samuel Maoz – 6,69
33 – Um Casamento À Indiana | Mira Nair – 6,64
34 – Gloria | John Cassavetes – 6,45
35 – Em Nome de Deus | Peter Mullan – 6,05
*POSIÇÃO – FILME | Diretor – Nota

Filmes Abaixo da Amostragem de 10%
– [–] Die Artisten In Der Zirkuskuppel: Ratlos | Alexander Kluge – 8,50
– [–] Le Passage Du Rhin | André Cayatte – 8,50
– [–] Os Renegados | Agnès Varda – 8,50
– [–] Cidade das Tristezas | Hsiao-Hsien Hou – 8,33
– [–] A Grande Guerra | Mario Monicelli – 8,25
– [–] Semente do Ódio (The Southerner) | Jean Renoir – 8,17
– [–] O Homem do Riquixá | Hiroshi Inagaki – 8,00
– [–] Brinquedo Proibido | René Clément – 7,75
– [–] Il Generale Della Rovere | Roberto Rossellini – 7,67
– [–] Manon | Henri-Georges Clouzot – 7,50
– [–] Justice Est Faite | André Cayatte – 7,50
– [–] Os Anos de Chumbo | Margarethe Von Trotta – 7,50
– [–] Vagas Estrelas da Ursa | Luchino Visconti – 7,20
– [–] Assim É que se Ria | Gianni Amelio – 7,17
– [–] A Lenda do Santo Beberrão | Ermanno Olmi – 6,75
– [–] Le Mani Sulla Città | Francesco Rosi – 6,75
– [–] Urga – Uma Paixão no Fim do Mundo | Nikita Mikhalkov – 6,50
– [–] Entre a Inocência e o Crime | Anh Hung Tran – 6,17
– [–] Rosencrantz & Guildenstern – Eles Morreram | Tom Stoppard – 5,75
– [–] Romeu & Julieta | Renato Castellani – 5,50
– [–] Rok Spokojnego Slonca | Krzysztof Zanussi – Sem Nota
– [–] Siréna | Karel Steklý – Sem Nota

———————————————


Rankings Alternativos

Filme Mais Popular: Maior Amostragem
1 – O Lutador | Darren Aronofsky [66%]
2 – Um Lugar Qualquer | Sofia Coppola [59%]
3 – Desejo e Perigo | Ang Lee [48%]

Filme “Ame ou Deixe”: Maior diferença entre maior e menor nota
1 – O Retorno | Andrei Zvyagintsev [8,0 Pts]
2 – A Liberdade É Azul | Krzysztof Kieslowski [7,0 Pts]
2 – Carmen de Godard | Jean-Luc Godard [7,0 Pts]

Filme Mais Amado: Maior Ocorrência de Notas 10
1 – A Palavra | Carl Theodor Dreyer [6x]
1 – O Ano Passado em Marienbad | Alain Resnais [6x]
1 – A Liberdade É Azul | Krzysztof Kieslowski [6x]

Filme Mais Odiado: Maior Ocorrência de Notas 0
Sem Ocorrências

Filme Mais Polêmico: Maior Desvio Médio
1 – Carmen de Godard | Jean-Luc Godard [+/- 1,9]
2 – Em Nome de Deus | Peter Mullan [+/- 1,7]
2 – O Retorno | Andrei Zvyagintsev [+/- 1,7]